“Pertencimento” nas redes sociais

Durante o Social Media Week (SMW) observamos uma série de fatores que envolvem o ser humano no meio social. Além do fato de quererem ser únicas, todas as pessoas querem ser aceitas dentro de um grupo. É a chamada questão do “pertencimento”. As redes sociais cumprem muito bem esse papel, pois através delas é possível se encontrar em nichos específicos e se destacar no meio social.

Com o advento das redes sociais, as pessoas adquiriram o poder da mídia. Todos passaram a ser agentes ativos na comunicação, o que levantou questões sobre os valores e a moral de cada um, e a credibilidade das informações em um ambiente virtual tão amplo.

Ser relevante nas mídias sociais é algo muito difícil. É preciso ter conteúdo e gerar engajamento. As pessoas só vão acreditar na sua marca quando houverem laços de confiança estabelecidos. A verdadeira mobilização é espontânea e fica bem distante do “ativismo do sofá”. O engajamento tem que ser espontâneo. De nada adianta ter milhões de retweets (RT’s) sem comprometimento, é preciso ter vontade e representação. Segundo Fernando Barreto: “o grande desafio é fazer com que as pessoas se mobilizem”.

Durante o SMW, muito foi discutido sobre a relevância do Twitter e seus Trending Topics (TT’s) na mobilização. Os TT’s representam apenas 23% do retrato da população e existem milhões de maneiras de estar lá, seja por patrocínio, por engajamento, por premiações e até por RT’s pagos. A questão está em como usar o Twitter para entender o que os usuários querem com ou sem Trending Topics. Se as redes sociais eram um sonho do passado, quais serão os sonhos do futuro?

Como ser “saudável” no meio social

As mídias sociais vieram para facilitar a vida das pessoas, porém cabe a cada um dosar o tempo que será dedicado a ela. Hoje em dia não dá mais para separar o online do off-line.

Mesmo com as facilidades da vida online, ainda é fundamental VIVER BEM. Tenha experiências na vida real, para depois gerar conteúdo nas redes sociais. O meio social é uma extensão para as pessoas compartilharem fatos de sua vida real e exporem seus pensamentos e vivências. Não existe um manual para saber o que deve ou não ser divulgado, apenas o bom senso. Lembrando que neste meio está sempre se lidando com pessoas, por isso a necessidade de criar perfis autênticos, sem robôs e spans.

Durante o evento foram mostrados exemplos de blogueiros que ficaram famosos nas redes, apenas através do conteúdo que ofereciam. É o exemplo do Jovemnerd: “nunca investimos em mídia, todas as pessoas vieram através do conteúdo”. Transparência, share, colaboração e democracia são a realidade hoje do meio social.

Agora, como manter essa transparência, quando temos trollagens correndo solta nas redes e difamando sua marca? Como reagir a isso?

Para reagir a uma trollada, a melhor maneira é não ligar. Uma marca é construída pela confiança dos consumidores/usuários através do tempo. O fato é que sempre vão existir brincadeiras e difamações nas redes, mas a sua postura no relacionamento com as pessoas vai fazer a diferença. Não existem pessoas com relevância e sim argumentos com relevância.

Mobile

Nos próximos anos o acesso a este novo mundo deve acontecer principalmente através do que está no seu bolso, o celular. Não existe o mobile que não funciona, e sim agências que não compram mídia. De qualquer forma, podemos concluir: O mundo é mobile!

Seguindo esta onda de mobile, os jogos sociais viraram febre na web! O segredo de tanto entusiasmo, segundo Heloísa Lima, da Dentsu Latin América está em respeitar o usuário. O sucesso do jogo está na audiência, na integração e na sua mecânica. Isso que faz as pessoas se apaixonarem por estes jogos. Para diferenciar um jogo de web para um jogo social é simples: se o jogo não tem integração ele não é social!

Como medir o ROI em Mídias Sociais?

A grande dificuldade nas mídias sociais não é mensurar e sim o que mensurar. O RT não significa nada para o gerente de vendas. O que conta é a relevância e o posicionamento. Com isso você pode dizer que seu ROI foi positivo. Segundo o IBOPE, o que falta é mais maturidade nas corporações para lidar com seu público. Um fator que qualifica e colabora para o sucesso de uma campanha nas redes sociais é buscar palavras-chave e procurar pessoas influentes.

Não deixe de conferir a segunda parte do texto sobre a Social Media Week clicando aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre WebTraffic

Somos uma Agência Digital Full Service com dez anos de atuação no mercado e pioneira em Marketing Digital no Brasil. Planejamos, implementamos e executamos ações completas para a internet com foco em performance e resultados. Links Patrocinados, Desenvolvimento Web, E-Mail Marketing entre outros.

Comentários

  1. Pingback: Social Media Week 2011 - Parte 2 |

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.