Alguma vez você entrou na Internet para procurar algo específico, e algum tempo depois você se encontra assistindo algum vídeo do Youtube, ou então entrando e saindo de sites oferecendo todo o tipo de coisas, menos o que você está procurando? A Internet cresceu de uma forma a ampliar a inclinação que temos para desviar nossa atenção. Basta um clique para que pulemos de um assunto para outro, nos fazendo vagar por contextos completamente diferentes.

Mas saiba que, é exatamente esse “clique” que todos (Redatores, grandes empresas, donos de negócios, blogueiros, etc) estão suando para conseguir. Em qualquer tipo de negócio online, é preciso aprender a sobreviver nessa economia da atenção. Calls-to-Action (Chamada à Ação – tradução livre) são a ferramenta para que isso aconteça. Eles tem o poder de prender a atenção do usuário e direcioná-lo a novos tópicos. Eles estão por toda parte.

Definição:
Um Call-to-action (CTA) é uma imagem, botão ou texto que instiga ou incentiva os visitantes a tomar uma ação, tal como inscrever-se em uma newsletter, assistir um vídeo ou solicitar um demo de um produto ou serviço. CTAs devem direcionar as pessoas a Landing Pages ( páginas por onde o usuário entra em um site, após clicar em um Call-to-action), onde se pode coletar um cadastro, informações de contato do visitante ou vender um produto ou serviço. Com isso em mente, um Call-to-action efetivo deve resultar em mais “leads” e conversões para o seu site.

Esse caminho – de um clique em um CTA até uma Landing Page – ilustra o tão desejado processo de geração de “leads”. E para aumentar suas oportunidades de conversão desses leads, você necessita criar muitos Calls-to-action, distribui-los por toda a sua presença digital, e otimizá-los.

Como escolher o Call-to-action certo?

Você deve manter um mix de CTAs que se espalham entre os diferentes estágios do ciclo de vendas. Quanto mais CTAs você montar, mais oportunidades você terá de converter visitantes em “leads”. Além do mais, uma grande quantidade de CTAs lhe darão valiosas informações sobre sua performance. Junte essas informações e otimize suas estratégias para uma maior geração de “leads”.

Onde posicionar os Call-to-Actions?

Um dos elementos mais críticos para alavancar o poder dos CTAs é otimizar seu posicionamento.

No seu site:

Os calls-to-action devem estar espalhados por suas páginas. Sua home page, onde geralmente as pessoas consideram como um espaço neutro, deve ter um call-to-action. Ela é provavelmente sua página mais frequentemente visitada e ela apresenta uma enorme oportunidade de dirigir o tráfego para uma campanha específica. Na verdade, sua home deve ter pelo menos três tipos de calls-to-action, que visam atingir diferentes pessoas ou tipos de visitantes.

A única página onde você não deve colocar um call-to-action é em sua Landing Page. Nela, as pessoas devem conseguir saber mais informações sobre sua oferta, produto ou serviço. Aliás, uma boa prática seria retirar de sua landing page todo e qualquer elemento que possa distrair a atenção do visitante, como navegação horizontal e vertical, informações sobre outros assuntos, banners, etc. Esses elementos apenas irão confundir o usuário e distraí-lo de seu objetivo de conversão ( como por exemplo um preenchimento de formulário, ou download de um Demo).

Seu blog é uma ótima plataforma para o uso de CTAs.

EMAIL Marketing:

Todo e-mail que você envia deve ter um call-to-action. Mais ainda, o próprio título do e-mail tem de servir como um call-to-action. Um vez que o destinatário abre seu email, ele deve ver um link na primeira ou segunda linha da mensagem, pelo menos um link no meio, e um link no final do e-mal.

Esses links podem direcionar todos para a mesma página, assim reforçando a consistência de sua linguagem.

Como fazer  Calls-To-Action efetivos?

10 regrinhas básicas para se ter sempre em mente:

•Seja claro

•Faça-o se destacar

•Faça-o “acionável” (mouseover )

•Mantenha-o sempre visível

•Coloque-o no contexto correto

•Tenha certeza de ele é relevante

•Mantenha-o “alinhado” com a Landing Page

•Otimize sua Landing Page, também

•Nunca pare de testar

Como criar os textos certos para seus CTAs?

Agregue valor

Seu CTA deve responder à pergunta “O que eu ganho com isso?”. Pense nos três maiores beneficios de sua oferta e ordene-os em ordem de prioridade. Então escolha o mais crítico tente resumi-lo em poucas palavras.

Crie um senso de urgência

Criar um senso de urgência é outra qualidade que os calls-to-action tem de adotar. E para criar um senso de urgência de forma efetiva, você precisa respoder às perguntas “Por que eu devo fazer isso hoje?”. Você pode gerar urgência de diferentes maneiras, por exemplo, você pode enfatizar ma sazonalidade ( Descontos de Primavera, troca de estoque ), descontos especiais ou ainda utilizar advérbios como “agora” e “hoje”.

Torne-o pessoal

A personalização de calls-to-action é trabalhoso mas não impossível. Se voc6e sabe onde o visitante está e o que ele está lendo, voc6e se torna mais ou menos familiar com suas necessidades e preferências.

Por exemplo, se ele está em sua página “Quem Somos”, ele está querendo saber mais informações sobre a sua empresa. O call-to-action aqui pode direcionar os visitantes para sua página de “Vagas”, com o toque pessoal como “Gostou de como trabalhamos? Faça parte de nossa equipe!”.

Quem Está fazendo certo, e quem está fazendo errado?

Calls-to-Action que NÃO funcionam

Existem inúmeros exemplos ruins de calls-to-action. Basta visitar alguns sites de conteúdo patrocinados por anúncios e você os verá por toda parte. Vamos analizar alguns exemplos que podem evitar erros comuns:

1. Entre em Contato

Um dos calls-to-action mais antigos, ele é ultrapassado e ineficiente. Por que alguem entraria em contato com você? O que eleganharia com isso? Você precisa ser específico e agregar algum valor.

Uma forma de melhorar drasticamente esse CTA é incluindo alguns verbos mais vibrantes. Por exemplo, você poderia transforma-lo em “Receba uma avaliação grátis”. Dessa forma, o seu CTA se torna muito mais específico e tem um valor agregado.

2. Clique Aqui

É outro exemplo que é encontrado en todo lugar. Ele também não agrega valor nenhum. Pelo contrário, alguns servidores barram tais palavras como spam, e lhe retornam um aviso dizendo que, enviar um email que contém essa expressão pode acarretar em sua mensagem ser barrada em filtros de spam.

3. CTAs Animados

Você já deve ter visto calls-to-action que mudam a cada poucos segundos, piscando e pulando para cima e para baixo na página. Eles não são são horríveis? CTAs animados são poluídos e sempre se parecem com spam ou vírus. Ás vezes eles nem conseguem passar a mensagem corretamente sobre a oferta, por que as palavras estão se mexendo. Eles podem ser tão dispersivos que as pessoas preferem sair da página à clicar neles.

Mas o erro mais comum em se tratando de CTAs é quando eles não levam os visitantes para a página correta. Eles necessitam direcionar o tráfego para uma landing page onde, via de regra, deve converter visitantes em “leads”. Se isso não está acontecendo, seus CTAs nunca irão ter um desempenho bom.

O segundo erro mais comum são calls-to-action e landing pages que não estão “alinhados”, e por alinhados, eu quero dizer, com a mesma identidade, falando o mesmo discurso, oferecendo os mesmos valores, etc. Se alguém clica no seu  call-to-action, ela está esperando ver o que está em sua landing page? Você não pode confundir o usuário, por que isso o faz deixar sua página imediatamente. Deixe claro o que o visitante deve fazer a seguir e tente não “entupi-lo” de informação. Certifique-se que seu call-to-action e sua landing page funcionem bem juntas, por que mesmo que seu CTR ( taxa de cliques ) estiver “bombando”, sua conversão ainda pode sofrer.

Concluindo

Um call-to-action deve agregar valor e instigar os visitantes a tomarem uma ação. Interessantemente, um call-to-action realmente efetivo carrega muito mais significado do que seu nome pode significar. Quando colocado no contexto correto e comparilhado com sua audiência-alvo, ele se torna muito mais do que um link-texto, um botão ou uma imagem mouseover. Ele se transforma em uma valioso pedaço de informação, ao qual as pessoas não podem evitar de prestar atenção.

Os visitantes irão clica-lo, não por que ele pisca e é animado, mas por que ele dá a eles uma “espiadinha” em algo do qual eles podem se beneficiar.

Um call-to-action eficiente deve prover-lhes com uma oportunidade de ir além do ato de “clicar em uma oferta”, e tentar estabelecer uma relação com um futuro cliente. Isso é apenas o começo da jornada de alguém com sua marca.

___________________________________________________________________________________________

Esse texto é parte integrante do E-BOOK “An introduction to effective calls-to-action” por Magdalena Georgieva, e é uma publicação do HubSpot. Tradução livre.

Caso queira fazer o download do material na íntegra, clique aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre Carlos Costa

Carlos Costa é o diretor de criação da WebTraffic. Com mais de 13 anos de experiência em branding e varejo, Caju é especialista em UX, arquitetura da informação e planejamento de projetos e hoje é o responsável pela equipe de criação da agência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.